Off Sight. Retratos de um passeio micológico

Desde os registos granulados que não participo no desafio Off Sight. Mas este mês fui passear no Seixal e não resisto a partilhar os retratos que tirei e outros que recupero agora, de um outro passeio micológico, nesse caso na Mata da Machada, no Barreiro. E, claro, dos diferentes cogumelos que podemos encontrar no nosso país.

Este retrato é do Rui Simão, da EcoFungos, uma associação micológica que contribui para a conservação da natureza através da promoção do conhecimento sobre o património ecológico e micológico nacional e internacional. Como? Com acções de sensibilização e educação, como passeios para aprender a identificar cogumelos, mas também descobrir qual o seu papel nas florestas.

No passado sábado, fui descobrir com a ajuda da EcoFungos as formas, as cores, os cheiros e as funções das frutificações de alguns fungos, que podemos encontrar pelo nosso país. Na primeira vez que o fiz, foi na Mata da Machada, no Barreiro. Desta vez foi na área de floresta ao redor da Extensão da Fábrica de Pólvora do Ecomuseu Municipal do Seixal e a L1B, uma associação cultural, também foi para promover o desenho de observação.

Gosto muito de comer cogumelos, mas só comecei a apreciar verdadeiramente a sua beleza (não só gastronómica) quando descobri todo um mundo selvagem, que não vemos quando olhamos para eles nos supermercados e se calhar até nos parecem mais ao menos todos iguais. Mas não são. Há muitas espécies diferentes, sobretudo para além das comestíveis que nos chegam. E se é verdade que não queremos comer nenhum que seja mortal ou que nos dê grandes dores de barriga, por outro lado também é verdade que não temos noção do quão interessante pode ser desenhá-los ou fotografá-los, aprender-lhes a forma com o olhar e a textura com o toque.

Por outro lado, é tão interessante partilhar com outras pessoas este fascínio pela natureza e pelo que ela nos dá. E descobrir que não somos os únicos a ficar demasiado entusiasmados apenas com a possibilidade de fotografarmos um cogumelo que nunca tínhamos visto ou de podermos tentar desenhá-lo enquanto nos sujamos de terra, só para conseguirmos vê-lo mais de perto.

Os retratos do ano passado, na Mata da Machada

Espreitem as outras participantes e as suas experiências fotográficas: a Jiji, a Catarina (do Joan of July) e a Vânia (do Raining days and Mondays).

  • Que belos retratos, Raquel! Um passeio pela natureza é sempre uma lufada de ar fresco, e aprendendo algo novo enquanto o fazemos ainda é melhor 🙂

    Jiji