Licenciei-me e agora? Agora é tempo de agir

Licenciei-me e agora?

Licenciei-me e agora? é aquela pergunta com que todos nós nos confrontamos após o fim do primeiro ciclo no Ensino Superior. Muitas vezes, até depois disso. Mas agora há um guia, escrito pela Catarina Alves de Sousa, para nos ajudar a encontrar o nosso lugar no mercado de trabalho.

Faz um ano que terminei a minha licenciatura e lembro-me perfeitamente da sensação. Não é que o meu currículo seja apenas a minha educação. Não é de todo. Sempre fiz voluntariado e me envolvi em actividades extra-curriculares, como fazer parte de um clube de teatro amador, de um programa cultural de rádio e do jornal digital Espalha-Factos. Mas nunca tinha tido um emprego remunerado na área de jornalismo ou comunicação. Por isso foi inevitável sentir-me aterrorizada.

O guia Licenciei-me e agora? Guia (passo a passo) para entrares com o pé direito no mercado de trabalho pretende ajudar não só os recém-licenciados como aqueles que já se licenciaram há algum tempo mas estão desempregados ou querem mudar de área. Através de dicas e desafios, há muito para aprender, desde como fazer um bom CV e uma carta de apresentação praticamente infalível até à importância do networking e da nossa presença online.

Encomendei em pré-venda na Fnac e, muito antes sequer de o poder adquirir, já sabia que estava prestes a nascer. A Catarina, que conheço por causa dos blogues e do Espalha-Factos, pediu-me um testemunho, que podem encontrar na página 47, acerca da mais valia que é contribuir com conteúdos para uma revista online.

Alimentar um blogue pessoal ou colaborar noutros projectos online é uma forma de criarmos portefólio, desenvolvermos aptidões e criar mais resultados no Google para o nosso nome.

Na verdade, o capítulo em que o meu testemunho se insere possui uma série de considerações interessantes acerca das situações em que vale a pena trabalhar à borla e as que devemos evitar a todo o custo.

A própria autora alimenta um blogue, o Joan of July, desde 2008, e não resiste a enumerar as vantagens que cultivar o seu próprio projecto lhe trouxe. Desde convites para eventos até à divulgação dos seus serviços fotográficos e consequente crescimento da carteira de clientes.

Se pesquisarem «Catarina Alves de Sousa» no Google vão perceber o poder de criarmos conteúdo online. A primeira página de resultados só nos encaminha para conteúdos ou contas da Catarina ou para artigos sobre o seu trabalho. Experimentem fazer o mesmo com o nome que utilizam nas vossas contas online ou com que assinam os conteúdos que produzem. Vão perceber se estão num bom caminho ou se precisam de melhorar a vossa presença online.

Mas, por onde começar?

A Catarina começa por nos pedir para não seguirmos (apenas) a nossa paixão. É importante (e recomendável até) não ingressarmos num curso que não tenha nada a ver com os nossos interesses ou com o que queremos para o nosso futuro. Mas é um erro, às vezes fatal, recusarmos oportunidades apenas porque não são aquilo que andamos à procura. Não é saudável ficarmos obcecados com a ideia do que é a nossa carreira de sonho e não aceitarmos outros desafios pelo caminho.

A verdade é que não faz sentido estarmos parados à espera do emprego perfeito, quando podemos ter outras experiências de trabalho que, de certeza absoluta, serão valiosíssimas na próxima circunstância. Por outro lado, há a questão de precisarmos de dinheiro para sobreviver e não há nada errado em aceitar uma proposta que, embora não nos deixe especialmente orgulhosos, nos ajuda a pagar as contas com dignidade.

É nesta fase que arregaçamos as mangas e começamos a construir o nosso «eu» profissional. O Licenciei-me e agora? chega para nos esclarecer e guiar. Por que não devemos aceitar um estágio não-renumerado depois da licenciatura? Por que é que devemos cultivar os nossos próprios projectos? Como conhecer pessoas profissionalmente relevantes para nós? Qual é a relação dos recrutadores com as redes sociais? Quais os melhores sites de procura de emprego? Entre muitas outras questões pertinentes, que finalmente vemos respondidas num único volume.

Agora é tempo de agir

Eu devorei o livro da Catarina em pouco mais de duas horas, numa viagem de autocarro que durou quase quatro. Só os vídeos e os desafios é que ficaram para mais tarde no conforto do meu lar. Pessoalmente, acredito que é especialmente útil a quem ainda não teve tempo para chegar à maior parte das conclusões que nos trás.

Por outro lado, não deixa de ser uma boa surpresa para os que já entraram no mercado de trabalho. Sobretudo pelos desafios e pelos recursos que nos disponibiliza (como vídeos inspiradores, listas de revistas para as quais podemos escrever, de sites que disponibilizam cursos online ou onde podemos encontrar templates gratuitos para o nosso CV).

Podem adquirir o livro Licenciei-me e agora? com 10% de desconto na Wook. Se quiserem conhecer melhor a autora, entrevistei a Catarina para o Espalha-Factos no ano passado.

No Goodreads

Licenciei-me… e agora? – Guia passo a passo para entrares com o pé direito no mercado de trabalho by Catarina Alves de Sousa
My rating: 5 of 5 stars

 

View all my reviews

  • Pingback: International Blog Day. Por que é que a blogosfera é tão mágica?()

  • fui googlar-me e descobri que existe uma fadista com o meu nome portanto estou feita ahahahahahha 🙂 Agora falando muito a sério sem dúvida que é importante fazermos outras coisas antes de encontrarmos a nossa paixão. Claro que romanticamente é óptimo pensar que terminamos a faculdade e encontramos o nosso caminho logo e somos felizes para sempre mas a verdade é que na maioria das vezes isso não acontece e ganhar estaleca noutras coisas ajuda-nos acima de tudo a ganhar confiança em nós mesmos e a perceber exactamente do que gostamos ou não gostamos. E isto é bagagem para a vida 🙂