Off Sight | Registos granulados

Registos granulados

Este mês regressamos aos retratos em mais um desafio Off Sight. No passado domingo, fui à Feira Medieval de Castro Marim. Foi o último dia e infelizmente não deu tempo para ver tudo. Mas aproveitei para fotografar num registo de cinzentos.

A minha Olympus E-PL5 tem um modo chamado ART com diversos filtros e, uma vez que ainda não consigo fotografar à noite sem os registos ficarem todos laranjas ou por outro lado super baços, optei pelo Filme granulado.

Registos medievais
A Joana foi a minha principal cobaia. Captei-a centenas de vezes, às vezes até de costas ou de raspão. Os registos não ficaram perfeitos, estão meio desfocados e com luzes por todo o lado. Mas é exactamente por causa desses pormenores que gosto tanto do resultado.

Estas são apenas duas fotografias de uma sequência que fiz sem querer. Curiosamente a minha preferida é a de perfil. Embora tenha de admitir que foi difícil escolher as fotografias para este mês. Tirei tantas e têm todas este ar tão distinto.

A Feira Medieval de Castro Marim estava cheia. Era o último dia e chegámos tarde, por isso desconfio não ter conseguido ver nem metade. O que interessa é que deu tempo para arranjar um copo de barro, comer polvo seco, ouvir música e deslumbrar-me a cada cinco minutos com as barracas.

Registos granulados

Registos granulados

Registos granulados
Tentei fotografar as pessoas distraídas. Consegui retratos de frente e muito mais nítidos do que estes que partilho. Mas achei que seria demasiado partilhá-los. Desta série de três, gosto muito da segunda, em que sou parte da multidão.

Ultimamente tenho feito muitos registos em Filme granulado. Para quem gosta de fotografar a preto e branco é uma alternativa interessante. Hei-de experimentar fazer uma sessão de retrato só neste modo. Por enquanto, deixo-vos com o meu retrato preferido da noite.

Registos granulados

A Joana está a usar uma daquelas máscaras venezianas. A cores estava muito bonita, mas penso que assim parece um pouco assustadora, como O Fantasma da Ópera. Digam-me o que acham da selecção que fiz para este mês e não se esqueçam de ver as outras participações:

Jiji

A Girl in Mint Green

Raining days and mondays

fashiONoir

Joan of July
  • Catarina Coelho

    Olha, mais uma feira medieval no Off Sight! 😀 Gosto imenso da naturalidade dos teus retratos, mesmo tendo usado um filtro que os transforma, por assim dizer. Mas está tudo muito cru, como diz a Cat. Luzes, sombras, desfocados… Eu confesso que não conseguia fotografar assim, mas gosto muito de ver este teu resultado.

    • Raquel Dias da Silva

      Não costumo usar os modos artísticos da máquina, mas desta vez decidi arriscar e mesmo usando um filtro acho que ficaram muito reais 🙂

  • Catarina Alves de Sousa

    Gostei muito, Raquel! Parece que este mês temos duas feiras medievais diferentes! ahahah (não me queixo, eu adoro!). Gosto muito do facto dos retratos serem tão crus e espontâneos. Já disse isto a outra menina do Off Sight, mas é verdade! As contribuições deste mês estão fantásticas! 😀

    • Raquel Dias da Silva

      Eu adoro feiras medievais e só lamento não ter ido mais cedo e de dia. Mas acho que o resultado acabou por ficar bastante interessante 🙂 Já vi as fotografias da outra feira medieval e acho que estão incríveis!

  • Vânia

    Também estive na feira medieval de Castro Marim, gosto muito. Só me aborrece, justamente, que tenha tanta gente, o que dificulta ver os espetáculos decentemente e passear pelo souk. Acho que a melhor hora para ir é mesmo no início, logo quando é a abertura, porque as pessoas vão chegando aos poucos.

    Gosto muito das tuas fotos, justamente por esse efeito granulado e pelos contrastes. Desta vez também me deu para brincar a preto e branco. Gosto tanto! 🙂

  • Gostei imenso destes registos, Raquel! Confesso que usar os modos artísticos da máquina para mim não dá – quero sempre ter a garantir que posso usar o original e faço tudo em pós-produção :p mas que tens fotos brutais, tens! Gosto particularmente da em que estás no meio da multidão!

    Jiji

    • Raquel Dias da Silva

      Eu percebo e também prefiro alterar em pós-produção mas neste caso, estava a sentir-me mal só de olhar para as fotografias e senti mesmo que devia arriscar e realmente acabei por ficar satisfeita com o resultado 🙂